Momentos

 
Momento 1:

Não há nada mais broxante do que estes torneiozinhos após uma grande competição. Menos de duas semanas após ser campeã olímpica, a seleção brasileira volta a jogar. Agora, entra em quadra no tal de Final Four, em Fortaleza. Participantes: Brasil, Cuba, República Dominicana e Argentina.

Quando se tem Olimpíadas é assim, chega meio do ano o calendário para as seleções acabou. Mas parece que há sempre razões para se inventar alguma coisa para ocupar a ”tranqüila” agenda dos atletas.

****************************
 
Por terem sido campeãs, deve ter lá uma graça para as jogadoras participar de um torneio em casa, receber uma certa badalação. Mas elas não tiveram nem uma semana de férias. Haja ânimo...

Será a despedida oficial da Fofão. Puxa, foi um final tão perfeito ela encerrar a sua participação na seleção exatamente na conquista dos Jogos Olímpicos que, independente dela ainda jogar o Final Four, na minha cabeça a história que vai ficar e que irei contar será a mais grandiosa: despediu-se da seleção brasileira na final olímpica.

****************************


Momento 2:

Na entrevista coletiva após a chegada da seleção brasileira ao Brasil, Zé Roberto e Mari pediram desculpas. Ele por ter dito que a medalha “é amarela, mas de ouro!” e ela por ter feito o gesto de silêncio, um “cala a boca” logo após o jogo. Pediram desculpas caso tivessem ofendido alguém com suas manifestações.

O Zé me decepciona às vezes. Em que lugar no mundo alguém se sentiria ofendido pelo que ele falou? A frase dele foi ótima, bem sacada, de opinião, mas com tom irônico. Defendeu a equipe dele que, como ele próprio afirmou, foi tachada durante anos de “amarelona” e que - assim como qualquer pessoa em sã consciência - não agüentava mais ouvir isso. Então, pra que pedir desculpas?!
 
O que o Zé declarou após o jogo não tem nada de ofensivo, agressivo ou inadequado. O pedido de desculpas é que foi completamente dispensável.

Comentários

André disse…
Também fiquei decepcionado com a declaração do Zé. Qdo a gente pensa que ele tá virando homem e deixando de ser aquele bonzinho bundão, ele vem e diz essa bobagem.
Anônimo disse…
Alguém na Senzala (CBV) deve ter dado a "dica". Pedir desculpas pelo q? Volleyball nao é futeball onde a mídia e a cartolagem ditam assuntos, costumes, falas, gestos, cabelos, roupas, tatuagens, etc ... Tem mais é q falar: "cala a boca e chupa!" Sem desculpas.
Qto ao Top 4 ... q fim de feira. Fofao merece mais q isso: 1 torneio anual chamado Trofeu Hélia Fofao, ainda seria pouco.
Inté
Mg