Mãe Diná às Avessas


Comentário postado num blog sobre os EUA, antes de começarem os Jogos: "(...) mas esse time me parece muito aquém de suas capacidades e das demais seleções. Não acho que em menos de um mês elas dêem um salto de qualidade a ponto de equilibrarem novamente a disputa por medalha."

Esses blogueiros realmente não tem noção do que estão escrevendo! Quem foi o "gênio" que previu isso? Rárárá Ok, ok... Admito, fui eu.


******************************
Queimei minha língua. Realmente não esperava que os EUA passassem pela Itália. Não que o time italiano fosse muito superior, mas pensei que nas horas decisivas dos sets ia sobressair o time com mais regularidade e recursos.

Mas a Itália foi exatamente o contrário, um time pobre de opções, facilmente encurralado. Mais uma vez Aguero foi anulada no ataque. Centoni deu conta do recado até um certo tempo, mas depois o time todo se desestruturou. Massimo Barbolini mexeu tarde demais no time para tentar uma recuperação. 


******************************
Surpreendente a forma que os EUA jogaram os dois últimos sets. Mais surpreendente ainda a falta de reação do time italiano. A paciência nas trocas de bola foi desaparecendo. Ficou completamente perdido, não conseguiu amenizar os estragos do saque da Berg no início do 4º e 5º sets.

Espero que os EUA consigam se firmar, ter a consistência que tiveram nos últimos sets e compliquem a vida de Cuba na semifinal. É de se registrar: que Olimpíada de Logan Tom e que jogo de Scott e Berg!



******************************
Quanto à Itália, a barreira das quartas-de-final continua intransponível. O calvário começou quando Del Core foi cortada por motivos de saúde. Daí por diante, o técnico não conseguiu achar a melhor forma de compor o ataque italiano. Insistiu muito com a Ortolani enquanto a Centoni me parece uma jogadora bem mais preparada. Toda a triste novela envolvendo Aguero, somando a dificuldade de se adaptar a uma posição na qual se sente desconfortável, contribuíram para um desempenho muito abaixo do esperado da cubana. E sem a cubana no seu melhor, a Itália ficou reduzida ao seu real tamanho: nada além de um time médio.

******************************
Pê Ésses:

- A Rússia entrou nesta Olimpíada?

- Agora entendi porque diziam que o grupo de Brasil era o "da morte". Das quatro classificadas para as quartas-de-final, só o Brasil sobreviveu.



Comentários

Anônimo disse…
Nao, vc nao qeimou a lingua. Creio EUA e ITA ainda nao disseram a q vieram a Beijing. Seus respectivos técnicos estao sobrevivendo da bábas q foram a chave q caíram (EUA)e da fragilidade de seus adversários (tirando o BRA). As 2 eqipes sao tao ruins, tao ruins, q o jogo deveria terminar empatado. Mas, prá nossa sorte, no volleyball nao tem isso.
Inté,
Mg
Lucas Silva e Silva disse…
Gostaria de registrar que a partida da Rússia contra a China foi simplesmente horrorosa. Por diversos momentos, a Rússia parecia um time amador, tão bisonhos eram os seus erros: dois toques de levantadora, rotação equivocada no saque, etc. etc. etc. Lamentável. Nem um pouco digno de Olimpíadas.
Segundo: a Itália é desse tamanho que vimos hoje. O título Mundial de 2002 foi um acidente de percurso, um ponto fora da curva, um aborto da Natureza. O normal é essa mediocridade que vimos em Pequim.
La Cauda disse…
Lucas: é verdade! A Itália costuma ser supervalorizada. Principalmente, depois do Mundial de 02 q sabemos foi mais uma bobeada dos EUA do q mérito italiano.
Mg: Realmente nenhuma das duas equipes foi o que se esperava delas nos Jogos. Claro q os EUA chegaram mais longe, mas não têm jogado bem e dão muito pouca esperança para fazer um confronto equilibrado contra Cuba, infelizmente.